O que significa a reforma íntima?

 
O que significa a reforma íntima?

Caro leitor, você sabe com clareza, tem consciência que reforma precisa fazer em seu interior? Ou seja, quais os maus hábitos e imperfeições que traz de outras encarnações?
Se não sabe, certamente irá levá-los para a próxima encarnação, atrasando a sua evolução espiritual (aqui explica por que a evolução do ser humano é lenta).
Por isso, a reforma íntima é a finalidade maior de uma encarnação, mas poucas pessoas estão suficientemente conscientes disso e engajadas efetivamente nessa mudança, nesse trabalho interior de autoconhecimento.

Reencarnamos para compreender e procurar melhorar as nossas tendências, inclinações negativas, isto é, o nosso modo inadequado de pensar, sentir e reagir diante dos acontecimentos da vida. Sendo assim , como você costuma reagir aos acontecimentos da vida?

Você se magoa fácil? É uma pessoa rancorosa, jamais esquece o que alguém lhe fez? É vingativo? É uma pessoa explosiva, agressiva, pavio curto, age por impulso e depois se arrepende, fica com remorso? É autoritário, odeia ser contrariado, contestado? Costuma se sentir menos diante das pessoas? É inseguro, medroso, se desvaloriza, se sente incapaz? É possessivo, ciumento, controlador? É vaidoso, sempre preocupado com o que as pessoas vão pensar de você?

Então, reforma íntima é se conscientizar e eliminar, ou mesmo atenuar o que emerge de negativo dentro de nós diante dos acontecimentos da vida.
Há muito tempo atrás, era consultor do SEBRAE, ministrava palestras e cursos de treinamento em relacionamento interpessoal nas empresas. No final dos cursos, pedia aos participantes avaliarem (sem se identificarem) as suas expectativas – se foram ou não supridas – em relação ao conteúdo programático, carga horário, qualidade do curso, etc., e de quem o ministrou. As avaliações eram sempre muito boas, até que um dia, um dos participantes – no total de 50 – avaliou de forma muito negativa o curso e a minha atuação, dizendo que estava muito frustrado e bastante decepcionado, saindo com uma imagem muito negativa à meu respeito e do curso. Ao ler a avaliação, emergiu em mim, de forma intensa, sentimentos de rejeição, incapacidade, desvalorização, raiva, decepção, etc.

Após refletir sobre esses sentimentos que emergiram dentro de mim, vim a perceber – para o meu espanto – o quanto era vaidoso (até então não tinha consciência disso), perfeccionista, lidava mal com uma opinião não favorável, exigente comigo mesmo, pois desconsiderei as outras 49 avaliações positivas.

Na verdade, aquela avaliação “negativa” foi um gatilho que desencadeou as minhas imperfeições, traços de personalidade, que certamente trago de outras encarnações. Percebi também ao relembrar outros acontecimentos de minha vida, que reagi de forma similar à avaliação daquele participante do curso.

Freud, o pai da psicanálise, definiu neurose como “compulsão a repetição”, isto é, o médico Vienense afirmava que o neurótico repete sempre os mesmos padrões patológicos de pensamentos, sentimentos e atitudes, oriundos de experiências traumáticas vividas na infância. Mas como Freud não lidava com a tese da reencarnação, isto é, lidava apenas com essa vida, achava que a neurose era fruto de experiências traumáticas da infância.

No entanto, a grande maioria de meus pacientes, quando passam pela TRE, através da regressão de memória, ou quando seus mentores espirituais lhes revelam a causa de seus problemas (fobias, depressão, síndrome do pânico, ciúme doentio, compulsão alimentar, etc.) se dão conta que a origem de seus comportamentos neuróticos advém de experiências traumáticas não desta vida, mas de suas vidas passadas. Nesta terapia, eles se conscientizam que trazem maus hábitos e traços de personalidades negativos de outras encarnações, reagindo de forma similar aos acontecimentos que lhes desagradam ficando tristes, magoados, irritados, agressivos, sentindo-se rejeitados, desvalorizados, como se sentiam em suas vidas pretéritas.

Portanto, reforma íntima é observarmos como costumamos reagir aos acontecimentos da vida e procurar nos melhorar eliminando ou mesmo minimizando as nossas atitudes negativas. Isso é evolução espiritual e a verdadeira cura do ser humano.

Caso Clínico:
Por que apesar de minha competência não cresço profissionalmente?
Homem de 35 anos, divorciado.

Paciente veio ao meu consultório querendo entender por que não ascendia, não era promovido, não crescia em sua carreira profissional.
Divorciado, queria entender também por que em seus relacionamentos afetivos, as mulheres se desinteressavam por ele e acabavam se afastando, rompendo o relacionamento. E no trabalho se sentia perseguido e incompreendido pelos colegas e chefia. Desta forma, cultivava com freqüência sentimentos de rejeição, autopiedade, inferioridade, pois achava que “todo mundo” queria prejudicá-lo. Por fim, queria saber também por que não concluía o que começava e tinha tanto medo, fobia de altura.

Depois de duas sessões de regressão, na 3ª e última sessão, após passar pelo portão (nessa terapia, sempre utilizo como recurso técnico um portão, isto é, um portal, que separa o passado do presente, o mundo espiritual do mundo físico), ele me relatou: “Vejo um abismo… É um lugar muito escuro (o paciente estava descrevendo o plano espiritual inferior, as trevas). (pausa).
Estou procurando alguém… Acho que é uma mulher, mas não a vejo(é comum também nessa terapia, os pacientes trazerem algo de forma intuitiva, ou seja, em impressão, sensação, e não necessariamente de forma visual)”.

– Vamos fazer juntos a oração do perdão, emanando – através das mãos – a luz dourada de Cristo para essa mulher, esse ser espiritual – Peço ao paciente. (pausa).
“Ela foi para a luz… Usava uma roupa preta (os habitantes das trevas usam roupas, mantos, túnicas pretas, diferentemente dos seres de luz, cujas roupas normalmente são brancas) e ao emanarmos a luz dourada, essa mulher chorava muito…Eu a abracei, depois ela foi embora, indo para uma luz maior(paciente fala emocionado). (pausa).
Alguém me dá os parabéns… Diz que é o meu mentor espiritual“. (pausa).

E-mail: j.alternativo@uol.com.br – links parceiros