Arquivos mensais: abril 2016

O que significa a reforma íntima?

 
O que significa a reforma íntima?

Caro leitor, você sabe com clareza, tem consciência que reforma precisa fazer em seu interior? Ou seja, quais os maus hábitos e imperfeições que traz de outras encarnações?
Se não sabe, certamente irá levá-los para a próxima encarnação, atrasando a sua evolução espiritual (aqui explica por que a evolução do ser humano é lenta).
Por isso, a reforma íntima é a finalidade maior de uma encarnação, mas poucas pessoas estão suficientemente conscientes disso e engajadas efetivamente nessa mudança, nesse trabalho interior de autoconhecimento.

Reencarnamos para compreender e procurar melhorar as nossas tendências, inclinações negativas, isto é, o nosso modo inadequado de pensar, sentir e reagir diante dos acontecimentos da vida. Sendo assim , como você costuma reagir aos acontecimentos da vida?

Você se magoa fácil? É uma pessoa rancorosa, jamais esquece o que alguém lhe fez? É vingativo? É uma pessoa explosiva, agressiva, pavio curto, age por impulso e depois se arrepende, fica com remorso? É autoritário, odeia ser contrariado, contestado? Costuma se sentir menos diante das pessoas? É inseguro, medroso, se desvaloriza, se sente incapaz? É possessivo, ciumento, controlador? É vaidoso, sempre preocupado com o que as pessoas vão pensar de você?

Então, reforma íntima é se conscientizar e eliminar, ou mesmo atenuar o que emerge de negativo dentro de nós diante dos acontecimentos da vida.
Há muito tempo atrás, era consultor do SEBRAE, ministrava palestras e cursos de treinamento em relacionamento interpessoal nas empresas. No final dos cursos, pedia aos participantes avaliarem (sem se identificarem) as suas expectativas – se foram ou não supridas – em relação ao conteúdo programático, carga horário, qualidade do curso, etc., e de quem o ministrou. As avaliações eram sempre muito boas, até que um dia, um dos participantes – no total de 50 – avaliou de forma muito negativa o curso e a minha atuação, dizendo que estava muito frustrado e bastante decepcionado, saindo com uma imagem muito negativa à meu respeito e do curso. Ao ler a avaliação, emergiu em mim, de forma intensa, sentimentos de rejeição, incapacidade, desvalorização, raiva, decepção, etc.

Após refletir sobre esses sentimentos que emergiram dentro de mim, vim a perceber – para o meu espanto – o quanto era vaidoso (até então não tinha consciência disso), perfeccionista, lidava mal com uma opinião não favorável, exigente comigo mesmo, pois desconsiderei as outras 49 avaliações positivas.

Na verdade, aquela avaliação “negativa” foi um gatilho que desencadeou as minhas imperfeições, traços de personalidade, que certamente trago de outras encarnações. Percebi também ao relembrar outros acontecimentos de minha vida, que reagi de forma similar à avaliação daquele participante do curso.

Freud, o pai da psicanálise, definiu neurose como “compulsão a repetição”, isto é, o médico Vienense afirmava que o neurótico repete sempre os mesmos padrões patológicos de pensamentos, sentimentos e atitudes, oriundos de experiências traumáticas vividas na infância. Mas como Freud não lidava com a tese da reencarnação, isto é, lidava apenas com essa vida, achava que a neurose era fruto de experiências traumáticas da infância.

No entanto, a grande maioria de meus pacientes, quando passam pela TRE, através da regressão de memória, ou quando seus mentores espirituais lhes revelam a causa de seus problemas (fobias, depressão, síndrome do pânico, ciúme doentio, compulsão alimentar, etc.) se dão conta que a origem de seus comportamentos neuróticos advém de experiências traumáticas não desta vida, mas de suas vidas passadas. Nesta terapia, eles se conscientizam que trazem maus hábitos e traços de personalidades negativos de outras encarnações, reagindo de forma similar aos acontecimentos que lhes desagradam ficando tristes, magoados, irritados, agressivos, sentindo-se rejeitados, desvalorizados, como se sentiam em suas vidas pretéritas.

Portanto, reforma íntima é observarmos como costumamos reagir aos acontecimentos da vida e procurar nos melhorar eliminando ou mesmo minimizando as nossas atitudes negativas. Isso é evolução espiritual e a verdadeira cura do ser humano.

Caso Clínico:
Por que apesar de minha competência não cresço profissionalmente?
Homem de 35 anos, divorciado.

Paciente veio ao meu consultório querendo entender por que não ascendia, não era promovido, não crescia em sua carreira profissional.
Divorciado, queria entender também por que em seus relacionamentos afetivos, as mulheres se desinteressavam por ele e acabavam se afastando, rompendo o relacionamento. E no trabalho se sentia perseguido e incompreendido pelos colegas e chefia. Desta forma, cultivava com freqüência sentimentos de rejeição, autopiedade, inferioridade, pois achava que “todo mundo” queria prejudicá-lo. Por fim, queria saber também por que não concluía o que começava e tinha tanto medo, fobia de altura.

Depois de duas sessões de regressão, na 3ª e última sessão, após passar pelo portão (nessa terapia, sempre utilizo como recurso técnico um portão, isto é, um portal, que separa o passado do presente, o mundo espiritual do mundo físico), ele me relatou: “Vejo um abismo… É um lugar muito escuro (o paciente estava descrevendo o plano espiritual inferior, as trevas). (pausa).
Estou procurando alguém… Acho que é uma mulher, mas não a vejo(é comum também nessa terapia, os pacientes trazerem algo de forma intuitiva, ou seja, em impressão, sensação, e não necessariamente de forma visual)”.

– Vamos fazer juntos a oração do perdão, emanando – através das mãos – a luz dourada de Cristo para essa mulher, esse ser espiritual – Peço ao paciente. (pausa).
“Ela foi para a luz… Usava uma roupa preta (os habitantes das trevas usam roupas, mantos, túnicas pretas, diferentemente dos seres de luz, cujas roupas normalmente são brancas) e ao emanarmos a luz dourada, essa mulher chorava muito…Eu a abracei, depois ela foi embora, indo para uma luz maior(paciente fala emocionado). (pausa).
Alguém me dá os parabéns… Diz que é o meu mentor espiritual“. (pausa).

E-mail: j.alternativo@uol.com.br – links parceiros

Carta de Publius Lentulus Cornelius

Carta de Publius Lentulus Cornelius

Enviado em 24 de dezembro de 2013 | Publicado por Rádio Boa Nova

Foi encontrada uma carta do senador Publius Lentulus Cornelius nos arquivos do Duque de Cesadini na cidade de Roma, enviada pelo senador em Jerusalém na época de Jesus, que havia sido endereçada ao imperador romano Tibério César.

Nela, há uma descrição física e moral de Jesus feita pelo senador. A carta é a seguinte:

“Sabendo que desejas conhecer quanto vou narrar, existindo nos nossos tempos um homem, o qual vive atualmente de grandes virtudes, chamado Jesus, que pelo povo é inculcado o profeta da verdade, e os seus discípulos dizem que é filho de Deus, criador do céu e da terra e de todas as coisas que nela se acham e que nela tenham estado; em verdade, ó César, cada dia se ouvem coisas maravilhosas desse Jesus: ressuscita os mortos, cura os enfermos, em uma só palavra: é um homem de justa estatura e é muito belo no aspecto, e há tanta majestade no rosto, que aqueles que o veem são forçados a amá-lo ou temê-lo. Tem os cabelos da cor amêndoa bem madura, são distendidos até as orelhas, e das orelhas até as espáduas, são da cor da terra, porém mais reluzentes.

Tem no meio de sua fronte uma linha separando os cabelos, na forma em uso nos nazarenos, o seu rosto é cheio, o aspecto é muito sereno, nenhuma ruga ou mancha se vê em sua face, de uma cor moderada; o nariz e a boca são irrepreensíveis.

A barba é espessa, mas semelhante aos cabelos, não muito longa, mas separada pelo meio, seu olhar é muito afetuoso e grave; tem os olhos expressivos e claros, o que surpreende é que resplandecem no seu rosto como os raios do sol, porém ninguém pode olhar fixo o seu semblante, porque quando resplende, apavora, e quando ameniza, faz chorar; faz-se amar e é alegre com gravidade.

Diz-se que nunca ninguém o viu rir, mas, antes, chorar. Tem os braços e as mãos muito belos; na palestra, contenta muito, mas o faz raramente e, quando dele se aproxima, verifica-se que é muito modesto na presença e na pessoa. É o mais belo homem que se possa imaginar, muito semelhante à sua mãe, a qual é de uma rara beleza, não se tendo, jamais, visto por estas partes uma mulher tão bela, porém, se a majestade tua, ó César, deseja vê-lo, como no aviso passado escreveste, dá-me ordens, que não faltarei de mandá-lo o mais depressa possível.

De letras, faz-se admirar de toda a cidade de Jerusalém; ele sabe todas as ciências e nunca estudou nada. Ele caminha descalço e sem coisa alguma na cabeça. Muitos se riem, vendo-o assim, porém em sua presença, falando com ele, tremem e admiram.

Dizem que um tal homem nunca fora ouvido por estas partes. Em verdade, segundo me dizem os hebreus, não se ouviram, jamais, tais conselhos, de grande doutrina, como ensina este Jesus; muitos judeus o têm como Divino e muitos me querelam, afirmando que é contra a lei de Tua Majestade; eu sou grandemente molestado por estes malignos hebreus.Diz-se que este Jesus nunca fez mal a quem quer que seja, mas, ao contrário, aqueles que o conhecem e com ele têm praticado, afirmam ter dele recebido grandes benefícios e saúde, porém à tua obediência estou prontíssimo, aquilo que Tua Majestade ordenar será cumprido.

 

Para a Doutrina Espírita há o relato constante do livro “Há Dois Mil Anos” escrito através da psicografia de Francisco Cândido Xavier pelo autor espiritual Emmanuel.